Skip to content

Diário de um detento – Racionais MC’s

25/01/2012

Intérprete – Racionais MC’s

Compositores – Jocenir e Mano Brown

Ano de divulgação – 1997

Álbum – Sobrevivendo no Inferno

letra e música – http://letras.terra.com.br/racionais-mcs/63369/

“Você não sabe como é caminhar com cabeça na mira de uma HK”

No século XXI, quando filmes como Carandiru, Tropa de Elite e Cidade De Deus já forma sucessos de bilheteria e popularidade fica fácil saber um pouco de como é a vida dentro da favela e dentro de um presídio. Hoje, todo mundo já sabe um pouco sobre bandidagem, tráfico de drogas e violência policial. Entretanto, assuntos como esses eram tratados apenas em jornais policiais até pouco tempo atrás. Os Racionais MC’s traziam, para os moradores destes ambientes e para os que queriam conhecer um pouco do que realmente acontecia as verdades que só seriam mostradas para o grande público alguns anos depois. o disco Sobrevivendo no Inferno foi sucesso de crítica e venda, mesmo tendo sido produzido de forma independente das gravadoras.

Sobrevivendo no Inferno, Racionais MC’s

A grande canção do disco, que é recheados de raps de primeira qualidade, é Diário de um detento que narra os momentos que precederam o massacre do Carandiru (então a maior casa de detenção do Brasil) em 1992. No massacre, os números oficiais trazem que 111 presos foram mortos pela ação policial. Entretanto, o número de mortes estipuladas é bastante superior ao número divulgado. Nenhum policial morreu.

A canção mostra, por meio de um relato em forma de diário como é difícil ser preso. Estar no meio de tantas pessoas perigosas e não sentir segurança nenhuma por parte da polícia.  na casa de detenção é cada um por si. Em um território onde reinam armas, drogas e facções, cada preso é responsável ela manutenção de sua própria vida e nunca sabe como será o dia de amanhã. Pode ser um dia normal, de trabalho, banho de sol; assim como também pode ser um dia de rebeliões e massacres, como o ocorrido em 1992.

Um fato marcante na canção de Brown e Jocenir é o apelo feito pelo detento para a família e para as pessoas próximas que estão fora da prisão. A mãe é sempre valorizada, o repúdio às drogas é claro e as orações para que a sentença do juiz lhe traga a liberdade é o desejo maior. A crítica ao policial que passa fome e é obrigado a se sujeitar aos presos também aparece na letra.

Um hino contra as injustiças e o sistema penitenciário falho brasileiro. A visão do que foi o massacre visto pelo olhar do detento, na época o grande culpado pela mídia, hoje, um pouco mais defendido. Muito dessa defesa vem da música do Racionais MC’s, que se consolidaram como um grupo de rap que luta contra a injustiça  e as diferenças sociais e raciais.

Dicas para saber mais sobre o massacre:

– du Rap, André. coordenação editoral de Zeni, Bruno.Sobrevivente André du Rap (do Massacre do Carandiru).  Labortexto Editorial. S. Paulo. 2002.

– Varella, Drauzio.Estação Carandiru. Cia das Letras. S. Paulo. 1999.

– Filme: Carandiru. (baseado na obra de Drauzio Varella). direção: Héctor Babenco. Globo Filmes. 2003.

Anúncios

From → Músicas

One Comment
  1. Sandro permalink

    Só uma observação, não há uma crítica ao policial que “passa fome e é obrigado a se sujeitar aos presos”. Quando ele fala “Servindo o Estado, um PM bom / passa-fome metido a Charles Bronson” está criticando a postura do policial, que também é vítima do Estado, pois mal remunerado e mesmo assim age como se não fosse vítima, como se fosse superior, por ter, in casu, maior poder, pois armado – daí a referência a Charles Bronson.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: